Reforço da Capacitação Institucional dos Parceiros Sociais com assento na CPCS

A CCP tem vindo, ao longo dos últimos anos, a desenvolver algumas iniciativas responsáveis pelo reforço da sua capacitação institucional enquanto Parceiro Social, daí resultando o Know How necessário à prossecução das actividades constantes do projecto designado por Reforço da Capacitação Institucional dos Parceiros Sociais com assento na CPCS, integrado na tipologia de operação 1.16 do POISE.

A tipologia de operação referida tem em vista capacitar os parceiros sociais, no sentido de melhorar o exercício das suas responsabilidades nos domínios da política de emprego, da política social e do diálogo social europeu; a concertação tripartida entre Governo e os parceiros sociais; a promoção do trabalho em rede, a nível nacional e europeu, bem como acções que reforcem o seu papel na melhoria das condições de trabalho e no funcionamento do mercado de trabalho, mediante a promoção, nomeadamente, de estudos, de análises e da promoção de seminários com vista ao debate em torno de temas-chave para a economia nacional e a melhoria da actuação empresarial.

As actividades constantes do projecto supra citado têm como principal objectivo a promoção de iniciativas que, por um lado, permitam um maior envolvimento do sector representado por esta Confederação, e, por outro, a divulgação de informação que vá ao encontro das necessidades e interesses do mesmo.
Assim, salientam-se como principais actividades, integradas na candidatura em causa, a prestação de informação aos associados em múltiplas áreas, desde a regulamentação sectorial, à legislação laboral e fiscal; a elaboração de uma especificação técnica para o reconhecimento da qualidade no comércio e serviços; a produção e tratamento de informação económica e estatística sobre o sector; a avaliação ao grau de desempenho da CCP enquanto parceiro social; a promoção de encontros e seminários com vista ao debate em torno de áreas-chave para o sector representado e para a evolução da economia e a produção de Estudos e de Cadernos Temáticos, cujo desenvolvimento já conta com uma série de publicações, resultado de um trabalho de investigação exaustivo, que tem primado pela colaboração de entidades de reconhecida importância a nível nacional.

Não será demais acrescentar que o trabalho de investigação tem sempre um carácter aberto, podendo o mesmo dar lugar a novas análises e à realização de novos estudos, os quais poderão assumir um formato de aprofundamento de temas já trabalhados, aliados, por um lado, às características do sector representado e, por outro, às da própria sociedade em que vivemos. Como tal, inclui este parceiro social, na presente candidatura, uma actividade que visa a elaboração de estudos temáticos, vocacionados para a sua área de intervenção e para o sector por si representado.

EFA – Cursos de Educação e Formação de Adultos – Norte

Os Cursos de Educação e Formação de Adultos têm uma duração que pode variar entre um e três anos, em função do nível de certificação em causa e estão organizados em diferentes tipos de percursos formativos de ensino básico ou de ensino secundário que integram três componentes (Portaria n.o 230/2008, de 7 de março, alterada e republicada pela Portaria n.o 283/2011, de 24 de outubro):

Formação de Base – estruturada em áreas de competências-chave, visa contribuir para o desenvolvimento pessoal, cultural, científico e relacional dos adultos;

Formação Tecnológica – organizada em Unidades de Formação de Curta Duração, visa o desenvolvimento de um conjunto de competências técnicas necessárias ao exercício profissional;

Formação em Contexto de Trabalho – realizada em empresas ou outras entidades empregadoras, visa a aquisição e o desenvolvimento de competências técnicas, relacionais e organizacionais relevantes para a qualificação profissional.

Para quem?

Adultos com idade igual ou superior a 18 anos, à data de início da formação, sem ensino básico ou secundário completo que pretendam completar qualquer ciclo de ensino não superior e/ou que desejem obter uma qualificação profissional. Neste contexto, os adultos já detentores do ensino básico ou do ensino secundário, que pretendam obter uma dupla certificação, podem apenas frequentar a componente de formação tecnológica do curso EFA correspondente.

Qual a certificação?

A conclusão de um Curso de Educação e Formação de Adultos permite a obtenção de uma certificação escolar de nível básico (4.o, 6.o ou 9.o ano) ou de nível secundário (12.o ano), de uma certificação profissional ou de ambas, designando-se nestes casos de dupla certificação e confere o nível 1, 2, 3 ou 4 de qualificação do Quadro Nacional de Qualificações – Portaria n.o 782/2009, 23 de julho.

Candidatura aprovada – Aviso POCH – 70-2019-13

Face à experiência acumulada entendeu a CCP que fazia todo o sentido submeter uma candidatura a esta tipologia de operação, nas Região Norte, Centro e Alentejo, com o objectivo primordial de elevar a qualificação da população adulta, através de cursos EFA de dupla certificação/Profissionais, dando-lhes a possibilidade de adquirir habilitações escolares e/ou competências profissionais, com vista a uma (re)inserção ou progressão no mercado de trabalho.

Objectivos

Este projecto tem como objectivos:

  • Proporcionar uma formação de dupla certificação a adultos desempregados não qualificados ou sem qualificação adequada para efeitos de inserção no mercado de trabalho e que não tenham concluído o ensino básico ou secundário;
  • Reforçar o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial, bem como contribuir para a adaptabilidade e aprendizagem do público-alvo combatendo o desemprego, facilitando a colocação de desempregados com novas competências, suprir défices de competências dos activos empregados e melhorar o desempenho organizacional nos subsectores de actividade que são alvo da intervenção;
  • Actualizar e aprofundar conhecimentos de forma a ajustar/adaptar os saberes às necessidades das entidades empregadoras, do trabalho e da sociedade;
  • Aprofundar e desenvolver competências técnicas, sociais e relacionais;
  • Ajustar as qualificações dos activos às necessidades do mercado laboral;
  • Promover a inserção profissional de formandos desempregados, através da sua formação em áreas valorizadas pelos empregadores;
  • Potenciar a adaptação às transformações tecnológicas e organizacionais;
  • Promover melhores condições de trabalho, no seio das organizações e o desenvolvimento de sectores de atividade considerados estratégicos, no plano socioeconómico.

Associações envolvidas

Para atingir os objectivos mencionados, esta candidatura conta com o envolvimento de associações empresariais de âmbito sectorial e regional na sua maioria com vasta experiência no desenvolvimento de cursos EFA e com uma forte ligação ao tecido empresarial, uma vez que filiam diversas empresas, com as quais estabelecem uma estreita relação, que lhes permite, entre outros aspectos, conhecer as suas necessidades formativas, em termos de recrutamento e qualificações.

Associações Regionais

Associação Empresarial de Fafe, Cabeceiras de Basto e Celorico de Basto
Associação Comercial e Industrial de Barcelos
Associação Comercial e Industrial do Concelho de Esposende
Associação Comercial de Braga – Comércio, Turismo e Serviços
AEP – Associação Empresarial de Penafiel
Associação Comercial e Industrial de Vila Nova de Famalicão
Associação Empresarial de Viana do Castelo
ACIAB – Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca

Associações Sectoriais

ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários

EFA – Cursos de Educação e Formação de Adultos – Centro

Os Cursos de Educação e Formação de Adultos têm uma duração que pode variar entre um e três anos, em função do nível de certificação em causa e estão organizados em diferentes tipos de percursos formativos de ensino básico ou de ensino secundário que integram três componentes (Portaria n.o 230/2008, de 7 de março, alterada e republicada pela Portaria n.o 283/2011, de 24 de outubro):

Formação de Base – estruturada em áreas de competências-chave, visa contribuir para o desenvolvimento pessoal, cultural, científico e relacional dos adultos;

Formação Tecnológica – organizada em Unidades de Formação de Curta Duração, visa o desenvolvimento de um conjunto de competências técnicas necessárias ao exercício profissional;

Formação em Contexto de Trabalho – realizada em empresas ou outras entidades empregadoras, visa a aquisição e o desenvolvimento de competências técnicas, relacionais e organizacionais relevantes para a qualificação profissional.

Para quem?

Adultos com idade igual ou superior a 18 anos, à data de início da formação, sem ensino básico ou secundário completo que pretendam completar qualquer ciclo de ensino não superior e/ou que desejem obter uma qualificação profissional. Neste contexto, os adultos já detentores do ensino básico ou do ensino secundário, que pretendam obter uma dupla certificação, podem apenas frequentar a componente de formação tecnológica do curso EFA correspondente.

Qual a certificação?

A conclusão de um Curso de Educação e Formação de Adultos permite a obtenção de uma certificação escolar de nível básico (4.o, 6.o ou 9.o ano) ou de nível secundário (12.o ano), de uma certificação profissional ou de ambas, designando-se nestes casos de dupla certificação e confere o nível 1, 2, 3 ou 4 de qualificação do Quadro Nacional de Qualificações – Portaria n.o 782/2009, 23 de julho.

Candidatura aprovada – Aviso POCH – 70-2019-13

Face à experiência acumulada entendeu a CCP que fazia todo o sentido submeter uma candidatura a esta tipologia de operação, nas Região Norte, Centro e Alentejo, com o objectivo primordial de elevar a qualificação da população adulta, através de cursos EFA de dupla certificação/Profissionais, dando-lhes a possibilidade de adquirir habilitações escolares e/ou competências profissionais, com vista a uma (re)inserção ou progressão no mercado de trabalho.

Objectivos

Este projecto tem como objectivos:

  • Proporcionar uma formação de dupla certificação a adultos desempregados não qualificados ou sem qualificação adequada para efeitos de inserção no mercado de trabalho e que não tenham concluído o ensino básico ou secundário;
  • Reforçar o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial, bem como contribuir para a adaptabilidade e aprendizagem do público-alvo combatendo o desemprego, facilitando a colocação de desempregados com novas competências, suprir défices de competências dos activos empregados e melhorar o desempenho organizacional nos subsectores de actividade que são alvo da intervenção;
  • Actualizar e aprofundar conhecimentos de forma a ajustar/adaptar os saberes às necessidades das entidades empregadoras, do trabalho e da sociedade;
  • Aprofundar e desenvolver competências técnicas, sociais e relacionais;
  • Ajustar as qualificações dos activos às necessidades do mercado laboral;
  • Promover a inserção profissional de formandos desempregados, através da sua formação em áreas valorizadas pelos empregadores;
  • Potenciar a adaptação às transformações tecnológicas e organizacionais;
  • Promover melhores condições de trabalho, no seio das organizações e o desenvolvimento de sectores de atividade considerados estratégicos, no plano socioeconómico.

Associações envolvidas

Para atingir os objectivos mencionados, esta candidatura conta com o envolvimento de associações empresariais de âmbito sectorial e regional na sua maioria com vasta experiência no desenvolvimento de cursos EFA e com uma forte ligação ao tecido empresarial, uma vez que filiam diversas empresas, com as quais estabelecem uma estreita relação, que lhes permite, entre outros aspectos, conhecer as suas necessidades formativas, em termos de recrutamento e qualificações.

Associações Regionais

Associação Empresarial de Mangualde
ACILIS – Associação de Comércio, Indústria e Serviços da Região de Leiria
Associação Comercial e Industrial da Figueira da Foz
AENEBEIRA – Associação Empresarial do Nordeste da Beira

Associações Sectoriais

ANCC – Associação Nacional do Corpo e do Cabelo
ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários

EFA – Cursos de Educação e Formação de Adultos – Alentejo

Os Cursos de Educação e Formação de Adultos têm uma duração que pode variar entre um e três anos, em função do nível de certificação em causa e estão organizados em diferentes tipos de percursos formativos de ensino básico ou de ensino secundário que integram três componentes (Portaria n.o 230/2008, de 7 de março, alterada e republicada pela Portaria n.o 283/2011, de 24 de outubro):

Formação de Base – estruturada em áreas de competências-chave, visa contribuir para o desenvolvimento pessoal, cultural, científico e relacional dos adultos;

Formação Tecnológica – organizada em Unidades de Formação de Curta Duração, visa o desenvolvimento de um conjunto de competências técnicas necessárias ao exercício profissional;

Formação em Contexto de Trabalho – realizada em empresas ou outras entidades empregadoras, visa a aquisição e o desenvolvimento de competências técnicas, relacionais e organizacionais relevantes para a qualificação profissional.

Para quem?

Adultos com idade igual ou superior a 18 anos, à data de início da formação, sem ensino básico ou secundário completo que pretendam completar qualquer ciclo de ensino não superior e/ou que desejem obter uma qualificação profissional. Neste contexto, os adultos já detentores do ensino básico ou do ensino secundário, que pretendam obter uma dupla certificação, podem apenas frequentar a componente de formação tecnológica do curso EFA correspondente.

Qual a certificação?

A conclusão de um Curso de Educação e Formação de Adultos permite a obtenção de uma certificação escolar de nível básico (4.o, 6.o ou 9.o ano) ou de nível secundário (12.o ano), de uma certificação profissional ou de ambas, designando-se nestes casos de dupla certificação e confere o nível 1, 2, 3 ou 4 de qualificação do Quadro Nacional de Qualificações – Portaria n.o 782/2009, 23 de julho.

Candidatura aprovada – Aviso POCH – 70-2019-13

Face à experiência acumulada entendeu a CCP que fazia todo o sentido submeter uma candidatura a esta tipologia de operação, nas Região Norte, Centro e Alentejo, com o objectivo primordial de elevar a qualificação da população adulta, através de cursos EFA de dupla certificação/Profissionais, dando-lhes a possibilidade de adquirir habilitações escolares e/ou competências profissionais, com vista a uma (re)inserção ou progressão no mercado de trabalho.

Objectivos

Este projecto tem como objectivos:

  • Proporcionar uma formação de dupla certificação a adultos desempregados não qualificados ou sem qualificação adequada para efeitos de inserção no mercado de trabalho e que não tenham concluído o ensino básico ou secundário;
  • Reforçar o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial, bem como contribuir para a adaptabilidade e aprendizagem do público-alvo combatendo o desemprego, facilitando a colocação de desempregados com novas competências, suprir défices de competências dos activos empregados e melhorar o desempenho organizacional nos subsectores de actividade que são alvo da intervenção;
  • Actualizar e aprofundar conhecimentos de forma a ajustar/adaptar os saberes às necessidades das entidades empregadoras, do trabalho e da sociedade;
  • Aprofundar e desenvolver competências técnicas, sociais e relacionais;
  • Ajustar as qualificações dos activos às necessidades do mercado laboral;
  • Promover a inserção profissional de formandos desempregados, através da sua formação em áreas valorizadas pelos empregadores;
  • Potenciar a adaptação às transformações tecnológicas e organizacionais;
  • Promover melhores condições de trabalho, no seio das organizações e o desenvolvimento de sectores de atividade considerados estratégicos, no plano socioeconómico.

Associações envolvidas

Para atingir os objectivos mencionados, esta candidatura conta com o envolvimento de associações empresariais de âmbito sectorial e regional na sua maioria com vasta experiência no desenvolvimento de cursos EFA e com uma forte ligação ao tecido empresarial, uma vez que filiam diversas empresas, com as quais estabelecem uma estreita relação, que lhes permite, entre outros aspectos, conhecer as suas necessidades formativas, em termos de recrutamento e qualificações.

Associações Regionais

Associação do Comércio e Serviços do Distrito de Setúbal

Associações Sectoriais

ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários

CIF – Formação Modular para Empregados e Desempregados – Centro

A modalidade de candidatura CIF caracteriza-se pela agregação de várias candidaturas das associações filiadas na CCP, numa candidatura única. Esta modalidade tem diversas vantagens, tais como a potenciação de sinergias entre as entidades participantes e um melhor aproveitamento dos dinheiros públicos, na medida em que a gestão da verba atribuída pela Autoridade de Gestão, é da responsabilidade da CCP.

Inserindo-se na tipologia 1.08 do POISE – Formação modular para empregados e desempregados, a CIF visa em termos gerais dar resposta a necessidades de qualificação dos trabalhadores de micro e pequenas empresas, no contexto de processos de mudança organizacional e de processos de reestruturação com vista ao aumento da produtividade e competitividade dessas empresas e permitindo ainda aumentar as competências e níveis de qualificação dos ativos empregados contribuindo para a manutenção do nível de emprego.

Visa ainda reforçar a qualidade e celeridade das medidas ativas de emprego para desempregados, em particular a qualificação profissional, e potenciar um regresso mais sustentado ao mercado de trabalho.

Este projecto tem como principais objectivos específicos:

  1. Reforçar o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial, bem como contribuir para a adaptabilidade e aprendizagem do público- alvo combatendo o desemprego, facilitando a colocação de desempregados com novas competências, suprir défices de competências dos activos empregados e melhorar o desempenho organizacional nos subsectores de actividade que são alvo da intervenção;
  2. Actualizar e aprofundar conhecimentos de forma a ajustar/adaptar os saberes às necessidades das entidades empregadoras, do trabalho e da sociedade;
  3. Aprofundar e desenvolver competências técnicas, sociais e relacionais;
  4. Promover a inserção profissional de formandos desempregados, através da sua formação em áreas valorizadas pelos empregadores;
  5. Potenciar a adaptação às transformações tecnológicas e organizacionais;
  6. Promover melhores condições de trabalho, no seio das organizações e o desenvolvimento de sectores de atividade considerados estratégicos, no plano socioeconómico.

O público-alvo a abranger são preferencialmente adultos sem ensino básico ou secundário completo que pretendam completar qualquer ciclo de ensino não superior e/ou que desejem obter uma qualificação profissional.

A presente CIF permitirá:

  1. O acesso a itinerários formativos de áreas profissionais, onde há escassez de recursos humanos;
  2. Uma oferta educativa e profissional para adultos pouco qualificados;
  3. A redução do défice de qualificação escolar e profissional da população, potenciando assim, as suas condições de empregabilidade;
  4. A satisfação das necessidades formativas detectadas através dos diagnósticos e parcerias efectivados pelas associações integradas na presente CIF, na região do Centro;
  5. A criação de quadros técnicos nas áreas dos cursos propostos pelas associações envolvidas baseados em diagnósticos de necessidades;
  6. A incrementação do grau de competitividade empresarial, social e pessoal na região do Centro.

Associações envolvidas na candidatura POISE-01-3524-FSE-003273

ACDV – Associação Comercial Do Distrito de Viseu
ACICA – Associação Comercial e Industrial do Concelho de Alenquer
ACICB – Associação Comercial e Empresarial da Beira Baixa
ACILIS – Associação de Comércio, Indústria, Serviços e Turismo da Região de Leiria
ACIS – Associação Empresarial dos Concelhos de Vila Franca de Xira e Arruda dos Vinhos
AECBP – Associação Empresarial da Covilhã, Belmonte e Penamacor
AEM – Associação Empresarial de Mangualde
AENEBEIRA – Associação Empresarial do Nordeste da Beira
AESE – Associação Empresarial da Serra da Estrela
AESL – Associação Empresarial Serra da Lousã
ANCC – Associação Nacional do Sector de Comércio e Serviços de Cuidados Corporais
ANECRA – Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel
ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários
ANO – Associação. Nacional dos Ópticos
ANTRAM – Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias
APCMC – Associação Portuguesa dos Comerciantes de Materiais de Construção
APEE – Associação Portuguesa de Ética Empresarial
ARAN – Associação Nacional do Ramo Automóvel
NERC – Associação Empresarial da Região de Coimbra
SEMA – Associação Empresarial dos Concelhos de Estarreja, Murtosa, Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga e Ovar

CIF – Formação Modular para Empregados e Desempregados – Norte

A modalidade de candidatura CIF caracteriza-se pela agregação de várias candidaturas das associações filiadas na CCP, numa candidatura única. Esta modalidade tem diversas vantagens, tais como a potenciação de sinergias entre as entidades participantes e um melhor aproveitamento dos dinheiros públicos, na medida em que a gestão da verba atribuída pela Autoridade de Gestão, é da responsabilidade da CCP.

Inserindo-se na tipologia 1.08 do POISE – Formação modular para empregados e desempregados, a CIF visa em termos gerais dar resposta a necessidades de qualificação dos trabalhadores de micro e pequenas empresas, no contexto de processos de mudança organizacional e de processos de reestruturação com vista ao aumento da produtividade e competitividade dessas empresas e permitindo ainda aumentar as competências e níveis de qualificação dos ativos empregados contribuindo para a manutenção do nível de emprego.

Visa ainda reforçar a qualidade e celeridade das medidas ativas de emprego para desempregados, em particular a qualificação profissional, e potenciar um regresso mais sustentado ao mercado de trabalho.

Este projecto tem como principais objectivos específicos:

  1. Reforçar o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial, bem como contribuir para a adaptabilidade e aprendizagem do público- alvo combatendo o desemprego, facilitando a colocação de desempregados com novas competências, suprir défices de competências dos activos empregados e melhorar o desempenho organizacional nos subsectores de actividade que são alvo da intervenção;
  2. Actualizar e aprofundar conhecimentos de forma a ajustar/adaptar os saberes às necessidades das entidades empregadoras, do trabalho e da sociedade;
  3. Aprofundar e desenvolver competências técnicas, sociais e relacionais;
  4. Promover a inserção profissional de formandos desempregados, através da sua formação em áreas valorizadas pelos empregadores;
  5. Potenciar a adaptação às transformações tecnológicas e organizacionais;
  6. Promover melhores condições de trabalho, no seio das organizações e o desenvolvimento de sectores de atividade considerados estratégicos, no plano socioeconómico.

O público-alvo a abranger são preferencialmente adultos sem ensino básico ou secundário completo que pretendam completar qualquer ciclo de ensino não superior e/ou que desejem obter uma qualificação profissional.

A presente CIF permitirá:

  1. O acesso a itinerários formativos de áreas profissionais, onde há escassez de recursos humanos;
  2. Uma oferta educativa e profissional para adultos pouco qualificados;
  3. A redução do défice de qualificação escolar e profissional da população, potenciando assim, as suas condições de empregabilidade;
  4. A satisfação das necessidades formativas detectadas através dos diagnósticos e parcerias efectivados pelas associações integradas na presente CIF, na região do Norte;
  5. A criação de quadros técnicos nas áreas dos cursos propostos pelas associações envolvidas baseados em diagnósticos de necessidades;
  6. A incrementação do grau de competitividade empresarial, social e pessoal na região do Norte.

Associações envolvidas na candidatura POISE-01-3524-FSE-003222

ACB – Associação Comercial de Braga – Comércio, Turismo e Serviços
ACE – Associação Comercial de Espinho
ACIAB – Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca
ACIB – Associação Comercial e Industrial de Barcelos
ACICE – Associação Comercial e Industrial do Concelho de Esposende
ACIF – Associação Comercial e Industrial de Vila Nova de Famalicão
ACISAT – Associação Empresarial do Alto Tâmega
ACIV – Associação Comercial e Industrial de Vizela
ACIVC – Associação Comercial e Industrial de Vila do Conde
ACIVR – Associação Comercial e Industrial de Vila Real
AEF – Associação Empresarial de Felgueiras
AEFAFE – Associação Empresarial de Fafe, Cabeceiras de Basto e Celorico de Basto
AENEBEIRA – Associação Empresarial do Nordeste da Beira
AEVC – Associação Empresarial de Viana do Castelo
ANCC – Associação Nacional do Sector de Comércio e Serviços de Cuidados Corporais
ANECRA – Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel
ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários
ANO – Associação Nacional dos Ópticos
ANTRAM – Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias
APCMC – Associação Portuguesa dos Comerciantes de Materiais de Construção
ARAN – Associação Nacional do Ramo Automóvel
MAIS BOTICAS – Associação Empresarial Botiquense

CIF – Formação Modular para Empregados e Desempregados – Alentejo

A modalidade de candidatura CIF caracteriza-se pela agregação de várias candidaturas das associações filiadas na CCP numa candidatura única. Esta modalidade tem diversas vantagens, tais como a potenciação de sinergias entre as entidades participantes e um melhor aproveitamento dos dinheiros públicos, na medida em que a gestão da verba atribuída pela Autoridade de Gestão, é da responsabilidade da CCP.

Inserindo-se na tipologia 1.08 do POISE – Formação modular para empregados e desempregados, a CIF visa em termos gerais dar resposta a necessidades de qualificação dos trabalhadores de micro e pequenas empresas, no contexto de processos de mudança organizacional e de processos de reestruturação com vista ao aumento da produtividade e competitividade dessas empresas e permitindo ainda aumentar as competências e níveis de qualificação dos ativos empregados contribuindo para a manutenção do nível de emprego.

Visa ainda reforçar a qualidade e celeridade das medidas ativas de emprego para desempregados, em particular a qualificação profissional, e potenciar um regresso mais sustentado ao mercado de trabalho.

Este projecto tem como principais objectivos específicos:

  1. Reforçar o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial, bem como contribuir para a adaptabilidade e aprendizagem do público- alvo combatendo o desemprego, facilitando a colocação de desempregados com novas competências, suprir défices de competências dos activos empregados e melhorar o desempenho organizacional nos subsectores de actividade que são alvo da intervenção;
  2. Actualizar e aprofundar conhecimentos de forma a ajustar/adaptar os saberes às necessidades das entidades empregadoras, do trabalho e da sociedade;
  3. Aprofundar e desenvolver competências técnicas, sociais e relacionais;
  4. Promover a inserção profissional de formandos desempregados, através da sua formação em áreas valorizadas pelos empregadores;
  5. Potenciar a adaptação às transformações tecnológicas e organizacionais;
  6. Promover melhores condições de trabalho, no seio das organizações e o desenvolvimento de sectores de atividade considerados estratégicos, no plano socioeconómico.

O público-alvo a abranger são preferencialmente adultos sem ensino básico ou secundário completo que pretendam completar qualquer ciclo de ensino não superior e/ou que desejem obter uma qualificação profissional.

A presente CIF permitirá:

  1. O acesso a itinerários formativos de áreas profissionais, onde há escassez de recursos humanos;
  2. Uma oferta educativa e profissional para adultos pouco qualificados;
  3. A redução do défice de qualificação escolar e profissional da população, potenciando assim, as suas condições de empregabilidade;
  4. A satisfação das necessidades formativas detectadas através dos diagnósticos e parcerias efectivados pelas associações integradas na presente CIF, na região do Alentejo;
  5. A criação de quadros técnicos nas áreas dos cursos propostos pelas associações envolvidas baseados em diagnósticos de necessidades;
  6. A incrementação do grau de competitividade empresarial, social e pessoal na região do Alentejo.

Associações envolvidas na candidatura POISE-01-3524-FSE-003269:

ACDE – Associação Comercial Distrito de Évora – Comércio, Turismo e Serviços
ACISTDS – Associação do Comércio, Indústria, Serviços e Turismo do Distrito Setúbal
ANCC – Associação Nacional do Sector de Comércio e Serviços de Cuidados Corporais
ANECRA – Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel
ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários
ANO – Associação Nacional dos Ópticos
ANTRAM – Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias
ARAN – Associação Nacional do Ramo Automóvel

CIF – Formação Modular para DLD (Desempregados de Longa Duração) – Norte

A modalidade de candidatura CIF caracteriza-se pela agregação de várias candidaturas das associações filiadas na CCP, numa candidatura única. Esta modalidade tem diversas vantagens, tais como a potenciação de sinergias entre as entidades participantes e um melhor aproveitamento dos dinheiros públicos, na medida em que a gestão da verba atribuída pela Autoridade de Gestão, é da responsabilidade da CCP.

Inserindo-se na tipologia 3.03 – Formação modular para DLD, a CIF inclui ações que promovem a inclusão de públicos que se encontram há mais tempo afastados do mercado de trabalho e que por serem detentores de baixas qualificações passam por processos de desmotivação e de perda de competências que dificultam a participação na vida ativa e a própria integração em medidas ativas de emprego para desempregados, em particular em processos sustentados de qualificação profissional, potenciadores de um regresso mais célere e sustentado ao mercado de trabalho.

Este projecto tem como principais objectivos específicos:

Promover a inserção profissional de formandos desempregados através da obtenção de uma qualificação correspondente a uma determinada saída profissional em áreas procuradas pelas entidades empregadoras.

A presente CIF permitirá:

  1. O acesso a itinerários formativos de áreas profissionais, onde há escassez de recursos humanos;
  2. Uma oferta educativa e profissional para adultos pouco qualificados;
  3. A redução do défice de qualificação escolar e profissional da população, potenciando assim, as suas condições de empregabilidade;
  4. A satisfação das necessidades formativas detectadas através dos diagnósticos e parcerias efectivados pelas associações integradas na presente CIF, na região do Norte;
  5. A incrementação do grau de competitividade empresarial, social e pessoal na região do Norte;
  6. Integração social e profissional.

Associações envolvidas na candidatura POISE-03-4231-FSE-001829

ACIB – Associação Comercial e Industrial de Barcelos
ACICE – Associação Comercial e Industrial do Concelho de Esposende
AEFAFE – Associação Empresarial de Fafe, Cabeceiras de Basto e Celorico de Basto

CIF – Formação Modular para DLD (Desempregados de Longa Duração) – Centro

A modalidade de candidatura CIF caracteriza-se pela agregação de várias candidaturas das associações filiadas na CCP, numa candidatura única. Esta modalidade tem diversas vantagens, tais como a potenciação de sinergias entre as entidades participantes e um melhor aproveitamento dos dinheiros públicos, na medida em que a gestão da verba atribuída pela Autoridade de Gestão, é da responsabilidade da CCP.

Inserindo-se na tipologia 3.03 – Formação modular para DLD, a CIF inclui ações que promovem a inclusão de públicos que se encontram há mais tempo afastados do mercado de trabalho e que por serem detentores de baixas qualificações passam por processos de desmotivação e de perda de competências que dificultam a participação na vida ativa e a própria integração em medidas ativas de emprego para desempregados, em particular em processos sustentados de qualificação profissional, potenciadores de um regresso mais célere e sustentado ao mercado de trabalho.

Este projecto tem como principais objectivos específicos:

Promover a inserção profissional de formandos desempregados através da obtenção de uma qualificação correspondente a uma determinada saída profissional em áreas procuradas pelas entidades empregadoras.

A presente CIF permitirá:

  1. O acesso a itinerários formativos de áreas profissionais, onde há escassez de recursos humanos;
  2. Uma oferta educativa e profissional para adultos pouco qualificados;
  3. A redução do défice de qualificação escolar e profissional da população, potenciando assim, as suas condições de empregabilidade;
  4. A satisfação das necessidades formativas detectadas através dos diagnósticos e parcerias efectivados pelas associações integradas na presente CIF, na região do Centro;
  5. A incrementação do grau de competitividade empresarial, social e pessoal na região do Centro;
  6. Integração social e profissional.

Associações envolvidas na candidatura POISE-03-4231-FSE-001656

ANCC – Associação Nacional do Sector de Comércio e Serviços de Cuidados Corporais
AEM – Associação Empresarial de Mangualde

CIF – Formação Modular para Empregados e Desempregados – Norte

A modalidade de candidatura CIF caracteriza-se pela agregação de várias candidaturas das associações filiadas na CCP, numa candidatura única. Esta modalidade tem diversas vantagens, tais como a potenciação de sinergias entre as entidades participantes e um melhor aproveitamento dos dinheiros públicos, na medida em que a gestão da verba atribuída pela Autoridade de Gestão, é da responsabilidade da CCP.

Inserindo-se na tipologia 1.08 do POISE – Formação modular para empregados e desempregados, a CIF visa em termos gerais dar resposta a necessidades de qualificação dos trabalhadores de micro e pequenas empresas, no contexto de processos de mudança organizacional e de processos de reestruturação com vista ao aumento da produtividade e competitividade dessas empresas e permitindo ainda aumentar as competências e níveis de qualificação dos ativos empregados contribuindo para a manutenção do nível de emprego.

Visa ainda reforçar a qualidade e celeridade das medidas ativas de emprego para desempregados, em particular a qualificação profissional, e potenciar um regresso mais sustentado ao mercado de trabalho.

Este projecto tem como principais objectivos específicos:

  1. Reforçar o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial, bem como contribuir para a adaptabilidade e aprendizagem do público- alvo combatendo o desemprego, facilitando a colocação de desempregados com novas competências, suprir défices de competências dos activos empregados e melhorar o desempenho organizacional nos subsectores de actividade que são alvo da intervenção;
  2. Actualizar e aprofundar conhecimentos de forma a ajustar/adaptar os saberes às necessidades das entidades empregadoras, do trabalho e da sociedade;
  3. Aprofundar e desenvolver competências técnicas, sociais e relacionais;
  4. Promover a inserção profissional de formandos desempregados, através da sua formação em áreas valorizadas pelos empregadores;
  5. Potenciar a adaptação às transformações tecnológicas e organizacionais;
  6. Promover melhores condições de trabalho, no seio das organizações e o desenvolvimento de sectores de atividade considerados estratégicos, no plano socioeconómico.

O público-alvo a abranger são preferencialmente adultos sem ensino básico ou secundário completo que pretendam completar qualquer ciclo de ensino não superior e/ou que desejem obter uma qualificação profissional.

A presente CIF permitirá:

  1. O acesso a itinerários formativos de áreas profissionais, onde há escassez de recursos humanos;
  2. Uma oferta educativa e profissional para adultos pouco qualificados;
  3. A redução do défice de qualificação escolar e profissional da população, potenciando assim, as suas condições de empregabilidade;
  4. A satisfação das necessidades formativas detectadas através dos diagnósticos e parcerias efectivados pelas associações integradas na presente CIF, na região do Centro;
  5. A criação de quadros técnicos nas áreas dos cursos propostos pelas associações envolvidas baseados em diagnósticos de necessidades;
  6. A incrementação do grau de competitividade empresarial, social e pessoal na região do Centro.

CIF – Formação Modular para Empregados e Desempregados – Centro

A modalidade de candidatura CIF caracteriza-se pela agregação de várias candidaturas das associações filiadas na CCP, numa candidatura única. Esta modalidade tem diversas vantagens, tais como a potenciação de sinergias entre as entidades participantes e um melhor aproveitamento dos dinheiros públicos, na medida em que a gestão da verba atribuída pela Autoridade de Gestão, é da responsabilidade da CCP.

Inserindo-se na tipologia 1.08 do POISE – Formação modular para empregados e desempregados, a CIF visa em termos gerais dar resposta a necessidades de qualificação dos trabalhadores de micro e pequenas empresas, no contexto de processos de mudança organizacional e de processos de reestruturação com vista ao aumento da produtividade e competitividade dessas empresas e permitindo ainda aumentar as competências e níveis de qualificação dos ativos empregados contribuindo para a manutenção do nível de emprego.

Visa ainda reforçar a qualidade e celeridade das medidas ativas de emprego para desempregados, em particular a qualificação profissional, e potenciar um regresso mais sustentado ao mercado de trabalho.

Este projecto tem como principais objectivos específicos:

  1. Reforçar o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial, bem como contribuir para a adaptabilidade e aprendizagem do público- alvo combatendo o desemprego, facilitando a colocação de desempregados com novas competências, suprir défices de competências dos activos empregados e melhorar o desempenho organizacional nos subsectores de actividade que são alvo da intervenção;
  2. Actualizar e aprofundar conhecimentos de forma a ajustar/adaptar os saberes às necessidades das entidades empregadoras, do trabalho e da sociedade;
  3. Aprofundar e desenvolver competências técnicas, sociais e relacionais;
  4. Promover a inserção profissional de formandos desempregados, através da sua formação em áreas valorizadas pelos empregadores;
  5. Potenciar a adaptação às transformações tecnológicas e organizacionais;
  6. Promover melhores condições de trabalho, no seio das organizações e o desenvolvimento de sectores de atividade considerados estratégicos, no plano socioeconómico.

O público-alvo a abranger são preferencialmente adultos sem ensino básico ou secundário completo que pretendam completar qualquer ciclo de ensino não superior e/ou que desejem obter uma qualificação profissional.

A presente CIF permitirá:

  1. O acesso a itinerários formativos de áreas profissionais, onde há escassez de recursos humanos;
  2. Uma oferta educativa e profissional para adultos pouco qualificados;
  3. A redução do défice de qualificação escolar e profissional da população, potenciando assim, as suas condições de empregabilidade;
  4. A satisfação das necessidades formativas detectadas através dos diagnósticos e parcerias efectivados pelas associações integradas na presente CIF, na região do Centro;
  5. A criação de quadros técnicos nas áreas dos cursos propostos pelas associações envolvidas baseados em diagnósticos de necessidades;
  6. A incrementação do grau de competitividade empresarial, social e pessoal na região do Centro.

Associações envolvidas na candidatura POISE-01-3524-FSE-002087:

ACE – Associação Comercial de Espinho
ACICA – Associação Comercial e Industrial do Concelho de Alenquer
ACICB – Associação Comercial e Empresarial da Beira Baixa
ACIS – Associação Empresarial dos Concelhos de Vila Franca de Xira e Arruda dos Vinhos
AEM – Associação Empresarial de Mangualde
AENEBEIRA – Associação Empresarial do Nordeste da Beira
AESE – Associação Empresarial da Serra da Estrela
ANCC – Associação Nacional do Sector de Comércio e Serviços de Cuidados Corporais
ANECRA – Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel
ANO – Associação. Nacional dos Ópticos
APCMC – Associação Portuguesa dos Comerciantes de Materiais de Construção
APEE – Associação Portuguesa de Ética Empresarial
ARAN – Associação Nacional do Ramo Automóvel
NERC – Associação Empresarial da Região de Coimbra
SEMA – Associação Empresarial dos Concelhos de Estarreja, Murtosa, Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga e Ovar

CIF – Formação Modular para Empregados e Desempregados – Alentejo

A modalidade de candidatura CIF caracteriza-se pela agregação de várias candidaturas das associações filiadas na CCP, numa candidatura única. Esta modalidade tem diversas vantagens, tais como a potenciação de sinergias entre as entidades participantes e um melhor aproveitamento dos dinheiros públicos, na medida em que a gestão da verba atribuída pela Autoridade de Gestão, é da responsabilidade da CCP.

Inserindo-se na tipologia 1.08 do POISE – Formação modular para empregados e desempregados, a CIF visa em termos gerais dar resposta a necessidades de qualificação dos trabalhadores de micro e pequenas empresas, no contexto de processos de mudança organizacional e de processos de reestruturação com vista ao aumento da produtividade e competitividade dessas empresas e permitindo ainda aumentar as competências e níveis de qualificação dos ativos empregados contribuindo para a manutenção do nível de emprego.

Visa ainda reforçar a qualidade e celeridade das medidas ativas de emprego para desempregados, em particular a qualificação profissional, e potenciar um regresso mais sustentado ao mercado de trabalho.

Este projecto tem como principais objectivos específicos:

  1. Reforçar o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial, bem como contribuir para a adaptabilidade e aprendizagem do público- alvo combatendo o desemprego, facilitando a colocação de desempregados com novas competências, suprir défices de competências dos activos empregados e melhorar o desempenho organizacional nos subsectores de actividade que são alvo da intervenção;
  2. Actualizar e aprofundar conhecimentos de forma a ajustar/adaptar os saberes às necessidades das entidades empregadoras, do trabalho e da sociedade;
  3. Aprofundar e desenvolver competências técnicas, sociais e relacionais;
  4. Promover a inserção profissional de formandos desempregados, através da sua formação em áreas valorizadas pelos empregadores;
  5. Potenciar a adaptação às transformações tecnológicas e organizacionais;
  6. Promover melhores condições de trabalho, no seio das organizações e o desenvolvimento de sectores de atividade considerados estratégicos, no plano socioeconómico.

O público-alvo a abranger são preferencialmente adultos sem ensino básico ou secundário completo que pretendam completar qualquer ciclo de ensino não superior e/ou que desejem obter uma qualificação profissional.

A presente CIF permitirá:

  1. O acesso a itinerários formativos de áreas profissionais, onde há escassez de recursos humanos;
  2. Uma oferta educativa e profissional para adultos pouco qualificados;
  3. A redução do défice de qualificação escolar e profissional da população, potenciando assim, as suas condições de empregabilidade;
  4. A satisfação das necessidades formativas detectadas através dos diagnósticos e parcerias efectivados pelas associações integradas na presente CIF, na região do Alentejo;
  5. A criação de quadros técnicos nas áreas dos cursos propostos pelas associações envolvidas baseados em diagnósticos de necessidades;
  6. A incrementação do grau de competitividade empresarial, social e pessoal na região do Alentejo.

Associações envolvidas na candidatura POISE-01-3524-FSE-002085:

ACDE – Associação Comercial Distrito de Évora – Comércio, Turismo e Serviços
ACISTDS – Associação do Comércio, Indústria, Serviços e Turismo do Distrito Setúbal
ANECRA – Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel
ANO – Associação. Nacional dos Ópticos
APCMC – Associação Portuguesa dos Comerciantes de Materiais de Construção
ARAN – Associação Nacional do Ramo Automóvel

Começe a escrever e pressione "Enter" ou "ESC" para fechar