Políticas Urbanas, atividades de serviços e atração de não residentes

Através da realização deste estudo, que cobre a realidade dos 278 concelhos de Portugal Continental, pretende-se responder à questão sobre qual o papel dos serviços de base territorial na atractividade de não residentes, e compreender em que medida a especialização dos territórios em determinadas categorias de serviços está relacionado com o respectivo nível de atractividade de não residentes, num contexto da perda de população, justificado pelo saldo natural e migratório negativos nos últimos anos em Portugal Continental e também do reconhecimento da complexidade inerente à explicação e compreensão da atractividade.

O aprofundamento do tema baseia-se nas seguintes abordagens teóricas e analítica: i) A definição de um novo quadro conceptual para a atractividade de não residentes; ii) A análise das dinâmicas de atracção de não residentes; iii) A compreensão da relação da especialização de serviços e a atracção de não residentes; iv) A apresentação de boas práticas; v) A sistematização de um conjunto de considerações sobre a articulação entre a atracção de não residentes, os serviços e as políticas públicas.

Tendo em conta a tipologia de especialização dos concelhos nas actividades de serviços e cruzando-a com os desempenhos em termos de atractividade é possível medir níveis diferenciados de atractividade com graus de abrangência mais ou menos diversififcados e, assim, estabelecer um padrão de relação entre essa especialização e a atractividade dos diferentes concelhos. São também apresentados um conjunto de “estudos de caso” que traduzem experiências concretas em que os serviços são um relevante factor de atractividade.

Data de Publicação: Agosto, 2018

pdf [7,9 MB]

Começe a escrever e pressione "Enter" ou "ESC" para fechar
CCP